Um dia para esquecer

Como podem constatar, o post não foi escrito hoje. Demorei a pensar se o publicava ou não. Sendo certo que estou a dar uso à minha liberdade de expressão, tal como faria com qualquer outra entidade ou empresa. Não poderá ser usado contra mim em qualquer circunstancia
...



Hoje venho fazer um post mais pessoal, dado os últimos acontecimentos, e que de alguma forma espero que ajude alguém que possa vir a estar na mesma situação.

Tudo começou ontem dia 08/11/2016, quando estava a voltar para o meu carro (Estacionado no parque do Leroy de Mem Martins), quando vejo que me tinham batido na traseira.

Fiquei chocada e fui logo direita ao interior do Leroy perguntar o que devia fazer, ao que o segurança com um ar muito desinteressado com um palito a limpar as unhas (??) me responde: - Policia!

Educadamente agradeci a informação e voltei para o carro. Quando chego à porta do condutor vejo um papel escrito por alguém que testemunhou o acidente e o denunciava ali naquele pedaço de papel (Foto acima).

Completamente exausta, triste e revoltada pesquisei na net o numero da PSP de Mem Martins e liguei!

(conversa resumida)
- Boa tarde, bateram me no carro e fugiram, mas eu tenho um papel de uma testemunha com a matricula, como.... (interrompida)
- Onde??
- No parque de estacionamento do Leroy de Mem Martins.
- Essa zona pertence à GNR, mas pode vir aqui à mesma que nós fazemos a participação, mas só entre as 9 e as 17H.
- Ah.. mas o que eu quero saber (perguntei especificamente) é se posso levar o carro ou se tem de ficar aqui à vossa espera ou algo do género.
- Á nossa espera porquê? o carro não anda?
- Anda, a batida foi no para-choques
- Então venha cá amanhã entre as 9 e as 17H
- ok...

Este acidente ocorreu a cerca de 25KM da minha casa, e quando estava a caminho de casa apanhei imenso transito na IC19 pelo que fui inundada de pensamentos, porquê eu? mas tudo me corre mal? que mal fiz eu????... até que pensei, bem vou só ali passar na esquadra ao lado de casa e perguntar pessoalmente para me informarem e/ou ajudarem.

Passei lá e a Senhora policia muito simpática e prestável disse que se a zona em questão é da GNR que se calhar era melhor eu ir lá logo direta no dia a seguir.

Hoje, 09/11/2016 desloquei-me à GNR de Mem Martins após pesquisar no GPS e fui informada que não era ali, mas sim na GNR de Sintra.

Lá fui eu...

Quando chego à GNR de sintra, respirei fundo e voltei a contar tudo desde o inicio, tendo sido interrompida na parte em que disse que tinha ligado para a PSP e que os mesmos informaram que era zona da GNR e que eu podia tirar o carro à vontade.

(conversa resumida)
- Acidente foi ontem?
- Foi.
- E só hoje é que aqui vem???
- Como lhe disse na PSP de Mem Martins informaram....bla bla bla...
- Então minha senhora se tomou a decisão de ligar para a PSP, seguir as instruções deles de remover o carro do lugar do acidente, agora pode dar meia volta e ir lá apresentar a queixa.
- Oi? então mas não é a vossa zona?
- É, mas não devia ter tirado o carro e devia ter logo ligado para nós para irmos tirar medidas etc etc...
- Então e agora?
- Agora para apresentar queixa tem de pagar 50€
- Isto não está acontecer, vocês não trabalham todos com o mesmo intuito? defender e ajudar? Aparentemente fui mal informada na PSP e eu é que agora tenho de pagar para fazer queixa?
- Já lhe disse, se ontem quis acreditar nas palavras da PSP e fez o que eles lhe disseram, então agora vai la pedir ajuda e contar o que me contou...
- Momento de pausa e olhar indignado. OK! Obrigada por não ajudar

Fui embora, envolta em lágrimas, super chateada, sem saber o que fazer e já não bastava estar numa situação má, ainda me vi no meio de uma guerra entre PSP e GNR onde ambos se odeiam não sei bem porquê.

Acabei por ir à PSP de Mem Martins, onde voltei a contar tudo de novo, e me informaram que não era ali, tinha de ser na divisão de transito. Lá fui eu de novo....

Chego à divisão de transito da PSP, volto a explicar tudo, fazendo ênfase de que eu não tinha nada a ver se existem picardias entre eles, querendo apenas alguém que me aponte numa direcção e me ajude a resolver isto.

O homem Policia simplesmente me meteu uma folha de participação à frente disse para preencher e virou me as costas, indo-se sentar na secretária do fundo.

Eu fiquei estupefacta a olhar para ele, até que a Senhora Policia que também lá estava, veio ao balcão e me explicou, preenches isto para se abrir o processo e fazes um desenho do acidente.

Resultado final, tiraram cópias dos documentos e do papel que preenchi e disseram boa tarde, obrigada.
Eu ainda disse então mas agora como vai ser? o que vai acontecer? vou ser contactada? o que tenho de fazer?
- Agora espera
- Então não preciso fazer mais nada?
- Não....


Com isto tudo senti que não me deram importância e me trataram como uma criança mentirosa com o carro do pai.
Independentemente do dano ser grande ou pequeno, o carro é meu! e custa-me a pagar todos os meses e todos os dias luto pelo que é meu.
Será que foi porque fui de fato de treino e mochila? Serei considerada gandula? ou criança que está a inventar por algum motivo?
Se tivesse ido com um ar clássico de malinha na mão muito intelectual e com ar de rica me tinham dado mais importância?
Não quero generalizar, nem ofender ninguém, apenas partilhar o que me aconteceu a titulo de desabafo pessoal.

Não será do âmbito deles, informar e aconselhar quando somos alvo de algo mau ou algum dano?
Depois do dia de hoje perdi qualquer confiança que tivesse com a Policia, e ainda fico a pensar em todas aquelas pessoas que se dizem vitimas deles, mas que acabam por perder, porque a palavra deles vale mais, pois são pessoas honestas, trabalhadoras e de confiança... Será?

Em relação à situação do carro, enviei a documentação toda para a seguradora e solicitei apoio juridico. Quando tiver noticias, conto ;)